Notícias

09 Outubro / 2013

Conheça os exames preventivos dos principais tipos de câncer

O câncer é a segunda maior causa de morte no país. Entre os homens, o mais comum é o de próstata e entre as mulheres, o de mama. Os novos casos de câncer devem aumentar 38,1% no Brasil ao longo desta década, segundo um artigo assinado por mais de 70 especialistas na revista especializada Lancet Oncology. Uma das maneiras de combater esse mal é prevenindo-o e detectando-o o quanto antes.

Existem exames muito úteis para detectar os principais tipos de câncer. Veja abaixo: MAMA Se você é mulher e tem mais de 20 anos, recomenda-se o autoexame das mamas mensalmente. Aproximadamente 90% dos tumores são descobertos pela própria paciente. O exame mais eficaz para detectar a presença de nódulos é a mamografia (raio-X das mamas), que deve ser realizada a cada 2 ou 3 anos se você tem de 20 a 40 anos, e anualmente se tem mais de 40 anos. Exames clínicos e laboratoriais também ajudam no diagnóstico.

Apesar de a maioria dos nódulos da mama ser benigno, para ter certeza, deve ser feita uma biópsia para definir características e extensões do tumor. Embora pouco comum, o câncer de mama também pode atingir os homens. Portanto, principalmente depois dos 50 anos, caso sinta dor, líquido nos mamilos ou retração de tecidos, deve-se procurar um médico.

PRÓSTATA O câncer de próstata pode ser diagnosticado por meio do exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem do PSA). Caso seja notada alguma irregularidade, é feito uma biópsia para analisar se o tumor é maligno. Caso positivo, outros exames laboratoriais confirmam o tamanho e presença ou não de metástases. Homens devem começar a fazer os exames preventivos aos 50 anos. Homens descendentes de negros ou que possuam parentes de primeiro grau portadores de câncer de próstata, por possuírem risco mais elevado, devem começar a realizar os exames a partir dos 45 anos.

COLO DO ÚTERO É fundamental para o diagnóstico do câncer do colo do útero realizar regular e periodicamente a avaliação ginecológica, a colposcopia e o exame citopatológico de Papanicolaou. Por meio do Papanicolaou podemos descobrir alterações celulares decorrentes do vírus HPV ou mesmo a existência de lesões pré-malignas. Para um diagnóstico definitivo, será preciso a realização de uma biópsia. Em alguns casos, é realizado também exames de tomografia, ressonância magnética e RX de tórax. Para ajudar na prevenção, as meninas devem de preferência tomar as vacinas contra o HPV a partir dos 9 anos de idade. Toda mulher deve realizar o exame papanicolaou periodicamente e se prevenir usando camisinha nas relações sexuais.

ESTÔMAGO Para diagnosticar o câncer de estômago é preciso levar em conta os sintomas e os possíveis fatores de risco. Alguns exames, como o hemograma, o de sangue oculto nas fezes, a ressonância magnética e a ultrassonografia endoscópica também são muito úteis. No entanto, o exame mais eficaz é a endoscopia digestiva alta, pois permite não só observar as lesões, como realizar a biópsia imediatamente. Procure um médico se apresentar problemas estomacais, como dor logo após as refeições e sensação de estômago cheio, mesmo se ocorrer melhora com o uso de remédios para controlar a má digestão. Muitas vezes a pessoa só descobre algum tumor após o aparecimento já dos primeiros sintomas.

PULMÃO Para investigar o câncer de pulmão, primeiro é feito o levantamento da história do paciente e a análise dos resultados do exame de raios-X de tórax. Caso constatada a presença de lesão no pulmão, devem ser solicitados exames complementares, como ressonância magnética, tomografia computadorizada, broncoscopia e biópsia da lesão. O tabagismo é responsável pela imensa maioria dos casos de câncer de pulmão. Se você é fumante ou fumou por mais de 10 anos, deve fazer raios-X de pulmão ou tomografia a cada um ou 2 anos.

PELE Diagnosticar o câncer de pele precocemente é muito importante, pois existem bons índices de cura nesses casos. Para isso, deve ser levado em conta o aspecto clínico da lesão da pele, sua coloração, forma e a biópsia realizada do tecido da lesão. O autoexame da pele deve ser feito regularmente, observando se há alguma lesão, ferida, mancha, pinta nova, sinal, ou alguma modificação na pele. Examine também a palma das mãos, os vãos entre os dedos, a sola dos pés e o couro cabeludo. Caso tenha a pele muito clara, que fique vermelha facilmente ao ficar exposta ao sol, ou caso haja histórico do câncer na família, visite o médico dermatologista regularmente. ­

INTESTINO Existem diversas estratégias para detectar o câncer colorretal: pesquisa de sangue oculto nas fezes, estudos radiológicos, sigmoidoscopia e a colonoscopia, que ainda é o método mais importante para a detecção desse tumor. O acompanhamento deve ser feito a partir dos 50 anos. No caso de resultado do exame de sangue positivo, deve-se realizar uma colonoscopia, exame no qual se investiga o interior do intestino. Se a pessoa tiver histórico deste tipo de câncer na família, o acompanhamento deve ser feito mais cedo. Fonte: INCA, Dr. Drauzio Varella e Revista Lancet Oncology